Pequenos vícios.

Contam os mais velhos que a combinação perfeita para uma boa história é um cigarro caro e um vinho barato.

Dê preferência à calada da noite, quando o silêncio é a melhor companhia.
Esteja ciente que o vício, essa palavrinha tão pequena, chega quando você menos espera. De forma rápida e constante ele vai tomando todo o seu corpo, possuindo todos os poros. É como o gosto daquele beijo: você não quer, mas já não consegue acordar e não tê-lo.
Ou como os olhares trocados na intimidade da cama, olhar que como o vinho, aquece e deixa a pele febril.

Aquecida estou.