Diálogo I

- Fica.
- Tenho muito que fazer em casa.
- Faz aqui, faço silêncio...
- Não tenho nada aqui, deixei tudo lá.
- Tem roupa limpa e lençol, o resto a gente arranja.
- Não sei se é suficiente.

 - Tem café e açúcar... Eu comprei leite também, sei que você gosta.
- O café não vai me manter acordado todo o tempo.
- Eu mantenho.
- Está frio, preciso do meu casaco.
- Tenho um edredom novo, você pode se enrolar.
- Não sei se é suficiente.
- O que seria?
- Minha casa.
- Eu não estaria lá.
- É só essa noite.
- Seria o suficiente.
- Suficiente pra quem?
- Pra mim. Pra nós.
- Não posso ficar uma noite na minha casa?
- Não pode ficar uma noite na minha casa?
- Passo a maior parte do tempo aqui!
- Bebendo café e trabalhando...
- Você vai começar de novo não é?
- Não, já foi o suficiente.
- Posso ir então?
- Você sempre vai.
...

-Oi! ;não consigo dormir.
- É o frio né?
- Tá me matando!
- Vai ficar sozinha?
- Como sempre...
- Como você aguenta?
- Era suficiente...
- Não é mais?
- Não sou mais...
- É pra mim, sempre foi.
- Ta muito frio, você percebe?
- Sim, percebo, mas posso te esquentar. Não foge do assunto.
- Dorme aqui?
- Sem chances de me mandar embora no meio da noite?
- Sem chances de ir embora no meio da noite?
- Sem chances.
- Dorme aqui então.
- Mas por quanto tempo?
- Comece a ser suficiente.
- Serei.
- Preciso.
- Serei...
- Te espero... Tem café, açúcar e leite.
- Dispenso o leite. Tem um cobertor quente?
- Um cobertor, um travesseiro e uma costela.
- É suficiente.