Miúdos, pequenos e escuros.

São esses seus olhos pequenos que eu quero ver quando acordar.
É que quando você me olha com esses seu olhos pequenos eu sinto que você enxerga mais do que o espelho me mostra e é o teu sorriso gostoso e a tua barba que insiste em me arranhar que me acalenta.

São esses teus olhos pequenos, escuros, que me sugam e me fazem afundar num mar profundo e só me resgatam quando fecho os meus olhos e sinto suas mãos em meu rosto, aí então eu volto à superfície e respiro teu ar.

São esses teus olhos miúdos, pequenos e escuros que me deixam sem graça e enxergam uma graça que eu nunca pensei que tivesse ou que pudesse ter. E quando eu me perco são os teus olhos que eu mentalizo e os que eu procuro em meio a tantos olhares que andam por aí afora. 
Mas foi o teu, pequeno e apertadinho que me fisgou. E se pelos teus olhos isso ainda não for amor, que eu cegue.