Yo sangro, tu sangra, ella sangra. Nosotras vivimos.



Exposição fotográfica com o tema "Sangro, pero no muero"  da artista Isa Sanz, mostra mulheres interagindo com o sangue menstrual, que ainda é tido como impuro e vergonhoso na sociedade. O amor escrito com sangue na parede deveria nos lembrar que impureza e vergonha não devem ser palavras do "vocabulário menstrual". Que comecemos a troca-las por saúde e vida.