Outros ares

   Andam por aí dizendo que só se da valor quando se perde, creio que é a mais pura e sincera verdade, posso até considerá-la  como uma verdade universal, ao menos pra mim ela é. Ou veio a ser.
   De fato percebo que nunca dei o valor verdadeiramente merecido ao meu mundo (e por mundo quero dizer pessoas)...
Veja bem, dou valor às pessoas que me cercam, os amigos, à família, ao amor. Porém nunca me entrego de corpo e alma a todos eles. Sou extremamente ciumenta e egoísta, tenho ciúmes de mim mesma! Ora vê se pode?
   O fato é que por não dar valor de verdade às pessoas (sim às pessoas porque às coisas eu dou valor, meus livros são ótimos exemplos, eu os valorizo muito) sinto que também não sou valorizada, e poxa, isso é muito difícil, mais difícil que terminar um relacionamento de dois anos e meio porque você não suportava mais o seu ex. É difícil porque qualquer vitória que antes você julgasse impossível, mas que finalmente chega, você espera que todos comemorem sem moderação, sem porém, sem “não fez mais que o seu trabalho”. Deveriam apenas comemorar. Só comemorar. Não pedi mais nada.
   Então retomando o assunto, se é perdendo que se valoriza, eu peço que por favor, me percam e deixem que eu me perca de vocês, deixem que eu respire outros ares, outros lugares, outras saudades. Deixem que eu me perca com o sabor de outra comida, outro beijo e quem sabe outra vida!
    Só pra que eu possa valorizar e querer, mais que tudo, voltar e dizer que eu nunca deveria ter saído. Que já encontrei meu lugar.